Translate this Page
Eu e meu peso
Você é gordo(a)/magro(a) demais você se ama assim?
Sim, me amo.
Não, tenho vergonha.
Sofro descriminação
Nem aí
Ver Resultados

Rating: 2.2/5 (97 votos)




ONLINE
1





Partilhe este Site...

Antena1 Radio Player


DEPRESSÃO, O GRITO MUDO DA ALMA
DEPRESSÃO, O GRITO MUDO DA ALMA

                                                                      



 

Alma, espirito, lutas, incertezas, tragédias, dramas, alegrias, sucesso, insucesso, lágrimas, grito sufocado, histeria, ser grande, ser pequena, ser família, ser mãe, ser  pai, ser amiga, ser  só, sentir  dor,  suicídio, morte...Ter  depressão!


A mente é maravilhosa
http://amenteemaravilhosa.com.br/
Não se faça em pedaços para manter os outros completos

Não se faça em pedaços para manter os outros completos

Frequentemente nos quebramos em pedaços para manter outras pessoas completas, para não abrir feridas ou não deixar que doam nelas aquelas feridas que já têm. Fazemos isso sem nos darmos conta ou, ao menos, sem darmos importância a isso.

Quando nos acostumamos a dar sem receber acabamos sentindo que dedicar-nos a nós mesmos é algo egoísta, mas nada mais longe da verdade. A troca é essencial em toda relação e toda pessoa precisa dela sendo um ser emocional.

Amar a nós mesmos é algo que devemos cultivar todos os dias para nos manter completos. Porque quando estamos despedaçados uma consequência direta é o sofrimento, e esta não deixa darmos o melhor de nós mesmos.

menina-nadando

Quando ficamos em pedaços?

  • Ficamos em pedaços quando deixamos de cuidar de nós.
  • Ficamos em pedaços quando evitamos fazer aquilo que gostamos.
  • Nos despedaçamos quando deixamos de cultivar nossa felicidade ou quando postergamos nossos interesses.
  • Nos partimos em pedaços quando não nos escutamos nem nos prestamos ajuda.
  • Nos partimos em pedaços quando priorizamos as necessidades dos outros e não prestamos atenção às nossas.
  • Quando queremos ser perfeitos e deixamos de ser nós mesmos.
  • Quando tentamos agradar e maquiar nossa realidade ou nossa opinião.
  • Quando nos esquecemos do que precisamos e nos obrigamos a passar na frente de nossas necessidades os desejos dos outros.
  • Quando transformamos o sacrifício em obrigação.
  • Quando achamos que somos pessoas ruins porque nos afastamos de um ambiente que nos faz mal para respirar aliviados.
  • Quando cedemos a chantagens emocionais e favores que impedem nosso próprio crescimento.
  • Quando sacrificamos nosso bem-estar e nos deixamos levar pela inércia de quem nos acompanha mas nos atrasa, deixando de lado o que nos agrada para fazer com que os outros se sintam bem.
É complicado sim, por isso devemos optar pelo equilíbrio entre as paixões, o cuidado e a dedicação a si mesmo e ao outro. Se assim fizermos, viveremos deliciosamente contemplando nossa essência plena, sem exceções ou poréns.

moça-tesoura

Às vezes devemos esquecer o que sentimos para lembrar o que merecemos

Quando não temos reciprocidade estamos sendo agressivos com o princípio do equilíbrio, que devemos manter sempre para termos sucesso em nos mantermos completos e não nos despedaçarmos.

Devemos lembrar que as relações afetivas não são uma mera interação, mas exigem uma troca equilibrada e satisfatória que faça sentido quando colocada na nossa balança social e afetiva.

Ou seja, não podemos fazer de nossas relações apenas oportunidades de “dar”, mas também devemos procurar que haja um equilíbrio com o “receber”. Isso não é egoísta nem mesquinho, mas sim enriquecedor.

Quem dá tudo em primeiro pessoa, quem se oferece inteiramente aos outros, não recebe nada em troca e não trabalha em si mesmo, termina sentindo-se vazio e machucado. Não podemos deixar de lado nossa autoestima para procurar a felicidade alheia, pois acabamos sendo vítimas da nossa própria atitude.

baloes-borboletas


Só jogando com o interesse pessoal e o alheio podemos cultivar nosso próprio desenvolvimento sem deixar de lado o outro. Ou seja, mantendo a balança equilibrada, numa linha reta e perfeita.

Dar e receber são partes de um todo. Quando alcançado, esse todo nos faz sentir capazes de amar e merecedores de amor e reconhecimento. Baseando-se nisso devemos ser capazes dManter nossos direitos: pode ser que em algum momento haja algo que não nos fará bem ou que simplesmente não nos agradará fazer. Nesse momento devemos fazer valer nosso direito de manter nosso próprio espaço.

  • Cultivar nossos interesses e passatempos: esta é a base para a satisfação, para a felicidade e para o crescimento pessoal. É importante que não deixemos de nos cuidar e de dar alimento aos nossos desejos.

Lembre-se de que as grandes mudanças sempre vêm acompanhadas de algumas dificuldades. Ainda que a mudança doa e seja incômoda, a melhora gradual lhe mostrará que longe de ser um fim, é a oportunidade do início de um grande momento emocional.




DRÁUZIO VARELLA –

Se não quiser adoecer fale de seus sentimentos.

Emoções e sentimentos que são escondidos, reprimidos, acabam em doenças como gastrite, úlcera, dores lombares, dor na coluna. Com o tempo, a repressão dos sentimentos, a mágoa, a tristeza, a decepção degenera até em câncer.
Então, vamos confidenciar, desabafar, partilhar nossa intimidade, nossos desejos, nossos pecados.
O diálogo, a fala, a palavra é um poderoso remédio e poderosa terapia.
Se não quiser adoecer – “tome decisão”.
A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade, na angústia.
A indecisão acumula problemas, preocupações, agressões.
A história humana é feita de decisões. Para decidir, é preciso saber renunciar, saber perder vantagens e valores para ganhar outros. As pessoas indecisas são vítimas de doenças nervosas, gástricas e problemas de pele.
Se não quiser adoecer – “busque soluções”. Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas. Preferem a lamentação, a murmuração, o pessimismo.
Melhor acender o fósforo que lamentar a escuridão. Somos o que pensamos. O pensamento negativo gera energia negativa que se transforma em doença. Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe.
Se não quiser adoecer – “não viva sempre triste”.
O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem a vida longa. A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive.
Se não quiser adoecer – “não viva de aparências”.
Quem esconde a realidade, finge, faz pose, quer sempre dar a impressão de estar bem, quer mostrar-se perfeito, bonzinho etc. Está acumulando toneladas de peso… Uma estátua de bronze, mas com pés de barro.
Se não quiser adoecer – “aceite-se”.
A rejeição de si próprio, a ausência de auto-estima faz com que sejamos algozes de nós mesmos. Ser eu mesmo é o núcleo de uma vida saudável.
-DRÁUZIO VARELLA
Via: http://www.sentimentosemfrases.com/drauzio-varella-se-nao-quiser-adoecer-fale-de-seus-sentimentos
 


Médico psiquiatra e clínico geral. Adoto uma visão integrativa e preventiva na medicina e na saúde.
Cyro Masci

https://www.facebook.com/ClinicaMasci/?ref=br_rs

13 h ·

Depressão: dicas para lidar com o problema

1.- Mantenha-se saudável. A alimentação deve ser adequada e as refeições devem ocorrer em horários regulares. Também é importante descansar o suficiente e fazer algum tipo de atividade física.

2.- Compartilhe os seus sentimentos com alguém de confiança. É fundamental receber o apoio de algum amigo ou parente, especialmente se está atravessando um momento difícil. Se não for possível um encontro em pessoa, um email, uma mensagem de texto, uma videoconferência ou uma ligação telefônica podem ser igualmente úteis.

3.- Praticar alguma técnica de relaxamento. Além de relaxar, esse exercício faz com que a pessoa passe algum tempo dedicada a si mesma. Entre as alternativas estão yoga, meditação ou MBSR (técnicas de mindfulness para reduzir o estresse). Apenas alguns poucos minutos já serão de grande ajuda.

4.- Organize-se. É útil manter um cronograma com as atividades a serem executadas, com doses e horários de medicamentos a serem ministrados à pessoa com depressão. É preciso também manter disponíveis os contatos para emergências e um plano para a ocorrência de algum imprevisto.

Fonte: Mind, ONG britânica dedicada à saúde mental.

BBC Brasil



Entendendo a depressão – 1- Humor Depressivo 

Posted by    

Mais de 350 milhões de pessoas sofrem de Depressão no mundo inteiro, e 80% delas não estão recebendo nenhum tratamento específico. Apesar de ser tão comum, é muito frequente que nem os próprios pacientes consigam reconhecer como a Depressão altera a sua maneira de pensar e agir, com familiares e amigos ainda mais indiferentes aos sintomas, costumeiramente tidos como “preguiça” ou “falta de esforço para melhorar”.

Vamos começar uma série de Posts explicando os sintomas da Depressão e como pode alterar o comportamento. Caso você acredite estar passando por um episódio depressivo, procure ajuda! 60-80% dos episódios depressivos podem ser eficientemente tratados com medicações e técnicas psicoterápicas.

-1- Humor depressivo –

O HUMOR é descrito dentro da psiquiatria como  estado de ânimo, ou tônus afetivo do indivíduo, o estado emocional basal e difuso no qual ele se encontra em determinado momento.

Sintoma mais característico da Depressão, é um sintoma que é mais intenso e pervasivo que uma tristeza temporária, e que dura um tempo maior. 86% dos pacientes deprimidos referem sentir-se tristes ou infelizes, enquanto apenas 23% de pacientes não deprimidos tem a mesma queixa. Geralmente quando perguntados como se sentem, pacientes deprimidos podem dizer: miserável, sem esperança, tristes, chateados, sozinhos, infelizes, “coração pesado”, humilhados, envergonhados, inúteis, culpados.

Depressão Leve

Pacientes referem estar entristecidos. Os sentimentos negativos tendem a flutuar consideravelmente durante o dia e até mesmo desaparecer por alguns momentos ou períodos inteiros. Sensações positivas podem ser sentidas após momentos agradáveis, piadas, eventos favoráveis, elogios. Com pequenos esforços,  parentes e amigos conseguem extrair uma resposta positiva. Geralmente os pacientes reagem positivamente a piadas ou casos divertidos.

Depressão Moderada

A irritação tende a ser mais pronunciada e mais persistente. É mais difícil obter alguma resposta positiva, e qualquer alívio é temporário. Uma variação ao longo do dia também é comum. Os sentimentos negativos são piores no início da manhã e aliviam parcialmente ao longo do dia,

Depressão grave

Em casos de depressão grave, a pessoa de sente completamente sem esperança, miserável. Irritação importante pode estar presente. Em um estudo com deprimidos graves, 70% referiam se sentir miseráveis e tristes “o tempo todo” e não conseguir sequer momentos de alívio ao longo do dia. O sentimento de tristeza é tão intenso que “chega a doer” ou “é insuportável”.

 

Rodrigo Scalia

About Rodrigo Scalia

Formado em medicina pela Universidade Federal de Uberlândia. Residência em psiquiatria pela Universidade Federal de Uberlandia, mestrando do Programa de ciências da saúde da Universidade Federal de Uberlândia. Pós graduação em Terapia de familia e casal pelo Instituto de terapia familiar do triângulo



 

Carta  de uma mãe  para sua  filha  depressiva

                                                                Oi filha,

      Estou  aqui pensando  em lhe escrever, mas  ao mesmo tempo  sem saber como começar.  Já me culpei tanto,  já  chorei tanto ao pensar que  posso  ter errado  por  não ter  percebido o seu grito abafado  de socorro.  É  difícil, saber que você sofre tanto  e eu   não posso fazer nada. É  doído  não poder entrar no  seu  íntimo  e  arrancar  com as minhas  mãos, esse sofrimento todo  que  vejo  em  seus  olhos.

       Queria  poder  sofrer isso  tudo  por  você, para poder lhe ver  feliz!

       Queria poder  fazer  com que  a maioria  das  pessoas  e a  família  entendessem  que o quê você  sente não é frescura,  não é dengo, não é para chamar atenção,  é sofrimento, é desespero, é  dor de morte como você  já  falou-me  várias  vezes.Mas sei também, por  mais que  eu tente como  sua  mãe,  eu  não consigo  sentir  a sua dor, a  sua aflição,  os  seus temores, a  sua  quase loucura quando  entra  em  crise

        Quando vejo sua alma aflita  pedindo socorro,  fico e  me sinto impotente, choro escondido para  que  você não me veja  chorar. Sei  bem que a  dor da alma dói  mais   que   a dor  física. por  que  a minha  alma  dói  também, o peito  parece que  vai explodir é  uma dor insuportável, que não deixa marcas  na pele.E  nem  assim  se  compara  com a dor  que você sente

         Muitas vezes  te  vejo  fraca, impotente,  olhando  para  o  horizonte  mas  sem  enxergar  nada,  aliás, só enxergando o nada. Achando  que  tudo já acabou, que  nada   mais  vale  a pena. Mas  nada acabou tudo   vale sim, o valor  que  se tem.  Tenta dar   valores  positivos para  as  coisas  que ainda consegue  achar boas e exclui da  sua  vida o que lhe  faz mal,  você luta diariamente para  conseguir, eu sei disso.

          Peço  a  Deus para  você voltar a amar, acreditar  no  impossível,  acreditar  que  você pode,  que  você consegue, que  você é uma  gigante, crer  que  temos  um Deus poderoso para  nos curar,  apesar  de não entendermos  o porquê  das  doenças,  das  guerras, dos crimes, e   por  que  não  há  paz    nos corações  dos  homens. É  Ele  que  nos mantém e nos sustenta, lembra  sempre  filha,   que  o  nosso socorro  vem  do  Senhor.

         Deus me deu você de presente e foi um presente  tão esperado,  tão  amado   e tão valioso,  para   sua  vida ser em vão. E então você chegou no momento em que, os braços da minha alma, estavam vazios  e os preencheu de ternura,  esperança e  amor.

          Filha, por mais difícil  que seja a   sua luta, não pense  em  morrer,  não desista  da vida!

          Sei  que  apesar  disso tudo: você  é forte,  guerreira, e mesmo você não acreditando, é vencedora!

        Tenha  força   e  fé.

                                                                           Te amo filha.

                                                                                    Sua Mãe  

AnaMedeiros


https://drauziovarella.com.br/
Dr. Drauzio Varella
DOENÇAS E SINTOMAS

DEPRESSÃO

Depressão é uma doença psiquiátrica, crônica e recorrente, que produz uma alteração do humor caracterizada por uma tristeza profunda, sem fim, associada a sentimentos de dor, amargura, desencanto, desesperança, baixa autoestima e culpa, assim como a distúrbios do sono e do apetite.

É importante distinguir a tristeza patológica daquela transitória provocada por acontecimentos difíceis e desagradáveis, mas que são inerentes à vida de todas as pessoas, como a morte de um ente querido, a perda de emprego, os desencontros amorosos, os desentendimentos familiares, as dificuldades econômicas, etc. Diante das adversidades, as pessoas sem a doença sofrem, ficam tristes, mas encontram uma forma de superá-las. Nos quadros de depressão, a tristeza não dá tréguas, mesmo que não haja uma causa aparente. O humor permanece deprimido praticamente o tempo todo, por dias e dias seguidos, e desaparece o interesse pelas atividades, que antes davam satisfação e prazer.

A depressão é uma doença incapacitante que atinge por volta de 350 milhões de pessoas no mundo. Os quadros variam de intensidade e duração e podem ser classificados em três diferentes graus: leves, moderados e graves.

Causas

Existem fatores genéticos envolvidos nos casos de depressão, doença que pode ser provocada por uma disfunção bioquímica do cérebro. Entretanto, nem todas as pessoas com predisposição genética reagem do mesmo modo diante de fatores que funcionam como gatilho para as crises: acontecimentos traumáticos na infância, estresse físico e psicológico, algumas doenças sistêmicas (ex: hipotireoidismo), consumo de drogas lícitas (ex: álcool) e ilícitas (ex: cocaína), certos tipos de medicamentos (ex: as anfetaminas).

Mulheres parecem ser mais vulneráveis aos estados depressivos em virtude da oscilação hormonal a que estão expostas principalmente no período fértil.

Sintomas

Além do estado deprimido (sentir-se deprimido a maior parte do tempo, quase todos os dias) e da anedonia (interesse e prazer diminuídos para realizar a maioria das atividades) são sintomas da depressão:

1) alteração de peso (perda ou ganho de peso não intencional); 2) distúrbio de sono (insônia ou sonolência excessiva  praticamente diárias); 3) problemas psicomotores (agitação ou apatia psicomotora, quase todos os dias); 4) fadiga ou perda de energia constante; 5) culpa excessiva (sentimento permanente de culpa e inutilidade); 6) dificuldade de concentração (habilidade diminuída para pensar ou concentrar-se); 7) ideias suicidas (pensamentos recorrentes de suicídio ou morte); 8) baixa autoestima, 9) alteração da libido.

Muitas vezes, no início, os sinais da enfermidade podem não ser reconhecidos. No entanto, nunca devem ser desconsideradas possíveis referências a ideias suicidas ou de autodestruição.

Diagnóstico

O diagnóstico da depressão é clínico e toma como base os sintomas descritos e a história de vida do paciente. Além de espírito deprimido e da perda de interesse e prazer para realizar a maioria das atividades durante pelo menos duas semanas, a pessoa deve apresentar também de quatro a cinco dos sintomas supracitados.

Como o estado depressivo pode ser um sintoma secundário a várias doenças, sempre é importante estabelecer o diagnóstico diferencial.

Tratamento

Depressão é uma doença que exige acompanhamento médico sistemático. Quadros leves costumam responder bem ao tratamento psicoterápico. Nos outros mais graves e com reflexo negativo sobre a vida afetiva, familiar e profissional e em sociedade, a indicação é o uso de antidepressivos com o objetivo de tirar a pessoa da crise.

Existem vários grupos desses medicamentos que não causam dependência. Apesar do tempo que levam para produzir efeito (por volta de duas a quatro semanas) e das desvantagens de alguns efeitos colaterais que podem ocorrer, a prescrição deve ser mantida, às vezes, por toda a vida, para evitar recaídas. Há casos de depressão que exigem a associação de outras classes de medicamentos – os ansiolíticos e os antipsicóticos, por exemplo – para obter o efeito necessãrio.

Há evidências de que a atividade física associada aos tratamentos farmacológicos e psicoterápicos representa um recurso importante para reverter o quadro de depressão.

 Recomendações

* Depressão é uma doença como qualquer outra. Não é sinal de loucura, nem de preguiça nem de irresponsabilidade. Se você anda desanimado, tristonho, e acha que a vida perdeu a graça, procure assistência médica. O diagnóstico precoce é o melhor caminho para colocar a vida nos eixos outra vez;

* Depressão pode ocorrer em qualquer fase da vida: na infância, adolescência, maturidade e velhice. Os sintomas podem variar conforme o caso. Nas crianças, muitas vezes são erroneamente atribuídos a características da personalidade e nos idosos, ao desgaste próprio dos anos vividos;

* A família dos portadores de depressão precisa manter-se informada sobre a doença, suas características, sintomas e riscos.  É importante que ela ofereça um ponto de referência para certos padrões, como a importância da alimentação equilibrada, da higiene pessoal e da necessidade e importância de interagir com outras pessoas. Afinal, trancafiar-se num quarto às escuras, sem fazer nada nem falar com ninguém,está longe de ser um bom caminho para superar a crise depressiva.